Notícia do jornal "O Estado de São Paulo" de 08 de março de 2004

http://www.estadao.com.br/divirtase/noticias/2004/mar/08/50.htm

 

 

"A Paixão de Cristo" continua líder nas bilheterias

O polêmico filme de Mel Gibson A Paixão de Cristo arrecadou US$ 51,5 milhões de dólares, liderando as bilheterias pelo segundo final de semana consecutivo, na América do Norte

Los Angeles - O polêmico filme de Mel Gibson A Paixão de Cristo arrecadou US$ 51,5 milhões de dólares, liderando pelo segundo final de semana consecutivo, as bilheterias na América do Norte. Em 12 dias em cartaz, o filme já obteve US$ 212 milhões nos Estados Unidos e Canadá. Aqui no Brasil o filme estréia no dia 26 e os ingressos começam a ser vendidos pela internet na sexta-feira.

A comédia Starsky & Hutch, uma recriáção da célebre série de televisão dos anos 70, focpi e, segundo lugar, com US$ 29,05 milhões, enquanto Hidalgo ocupou o terceiro lugar com US$ 19,6 milhões.

A expectativa é de que A Paixão de Cristo chegue aos US$ 300 milhões disse Bob Berney, presidente de Newmarket Films, uma distribuidora independente contratada por Gibson apra promover o filme.

Os 12 filmes mais vistos somaram US$ 131,5 milhões este fim de semana, o que representa 39% a mais que no mesmo período do ano passado.

Veja a lista dos filmes mais vistos no fim de semana:

1. A Paixão de Cristo - US$ 51,4 milhões
2. Starsky & Hutch, US$ 29,05 milhões
3. Hidalgo, US$ 19,6 milhões
4. 50 First Dates, US$ 7,7 milhões
5. Twisted, US$ 5 milhões
6. Confessions of a Teenage Drama Queen, US$ 4 milhões
7. O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei, US$ 3,2 milhões
8. Dirty Dancing: Havana Nights, US$ 2,85 milhões
9. Miracle, US$ 2,6 milhões
10. Monster, US$ 2,25 milhões

Comentário:

Somente para ficarmos por dentro do que anda acontecendo em relação a este filme, Mel Gibson está sendo acusado de anti-semitismo (anti-judeus) por retratar, no filme, que os judeus foram os que mataram Jesus.

Mel Gibson procurou ser fiel ao que está escrito na Bíblia. Ele mostra um Pôncio Pilatos passivo, que manda crucificar Jesus por causa da insistência dos judeus em quererem matá-lo. Se olharmos para os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João, é isto mesmo o que aconteceu. Está em Mateus 27:15-26:

15Ora, por ocasião da festa costumava o governador soltar um preso, escolhendo o povo aquele que quisesse.   
16Nesse tempo tinham um preso notório, chamado Barrabás.   
17Portanto, estando o povo reunido, perguntou-lhe Pilatos: Qual quereis que vos solte? Barrabás, ou Jesus, chamado o Cristo?   
18Pois sabia que por inveja o haviam entregado.   
19E estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou dizer-lhe: Não te envolvas na questão desse justo, porque muito sofri hoje em sonho por causa dele.   
20Mas os principais sacerdotes e os anciãos persuadiram as multidões a que pedissem Barrabás e fizessem morrer Jesus.   
21O governador, pois, perguntou-lhes: Qual dos dois quereis que eu vos solte? E disseram: Barrabás.   
22Tornou-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, que se chama Cristo? Disseram todos: Seja crucificado.   
23Pilatos, porém, disse: Pois que mal fez ele? Mas eles clamavam ainda mais: Seja crucificado.   
24Ao ver Pilatos que nada conseguia, mas pelo contrário que o tumulto aumentava, mandando trazer água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Sou inocente do sangue deste homem; seja isso lá convosco.   
25E todo o povo respondeu: O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos.   
26Então lhes soltou Barrabás; mas a Jesus mandou açoitar, e o entregou para ser crucificado.   

Apesar de respeitar outras opiniões, expressaremos aqui a nossa. Em nossa opinião, fica claro neste texto que Jesus foi morto por vontade dos judeus e não por vontade dos romanos. Nós sempre dissemos em nossos estudos que Jesus foi rejeitado pelos judeus como sendo o messias, porque Jesus era humilde e não tinha a aparência de um rei pomposo, poderoso.

Independentemente de qual seja o credo de Mel Gibson, consideramos que é extremamente importante que, agora no final dos tempos, seja mostrado o real sofrimento que Jesus passou por nós, para levar os nossos pecados, as nossas transgressões. Isto retrata o tamanho imenso do amor que Deus teve por nós, para mandar seu filho amado morrer em nosso lugar, para que todos nós que aceitarmos a Jesus, sejamos feitos filhos de Deus também. Não é à toa que Isaías disse no capítulo 53 que Jesus foi MOÍDO por nossas transgressões.

Mas o mais importante de tudo (e a imprensa não diz isto) é que Jesus morreu e depois de três dias ressuscitou, está vivo e vai voltar para concluir o final dos tempos. E nesta sua segunda vinda, Ele virá como Rei dos Reis, Senhor dos Senhores.

 

A Paz do Senhor a todos!

Últimas Notícias