Notícias do jornal "O Estado de São Paulo" de 28 e 29 de junho de 2004

http://www.estadao.com.br/agestado/noticias/2004/jun/26/61.htm

Ministro iraquiano defende execução de Saddam

Riad, Arábia Saudita - Os iraquianos não se sentirão seguros enquanto o deposto presidente Saddam Hussein não for executado, o que exigiria uma legislação especial, disse o ministro da Justiça do Iraque, Malik Dohan al-Hassan, em entrevista publicada neste sábado.

O novo governo iraquiano está pronto para julgar Saddam e poderá aprovar uma lei temporária revogando o cancelamento da pena capital no Iraque apenas para poder executar o ex-líder do país, disse Al-Hassan em entrevista publicada hoje pelo jornal saudita Okaz.

"Os americanos, liderados pessoalmente pelo presidente George W. Bush, prometeram que nos entregarão Saddam para que o julguemos", disse Al-Hassan. "Nós estamos prontos para julgá-lo e adotamos todas as medidas necessárias para que o julgamento seja transparente, justo e honesto." Segundo ele, "Saddam deve ser executado por causa de seus métodos e crimes".

http://www.estadao.com.br/agestado/noticias/2004/jun/29/26.htm

Governo do Iraque assume amanhã custódia de Saddam

Bagdá - O primeiro-ministro interino do Iraque, Iyad Allawi, afirmou que o presidente deposto Saddam Hussein e outros 11 presos políticos importantes serão transferidos para a custódia legal iraquiana amanhã. Allawi fez o anúncio na primeira entrevista coletiva após as forças invasoras terem devolvido o poder no Iraque ao governo interino. Allawi declarou que Saddam deverá ouvir as acusações que recaem sobre ele em uma audiência na quinta-feira. No entanto, Allawi disse que Saddam continuará preso em uma cadeia administrada pelos EUA, uma vez que o governo iraquiano ainda não possui uma prisão adequada.

O julgamento de Saddam e dois outros 11 prisioneiros deverá demorar alguns meses e Allawi pediu para que os iraquianos sejam pacientes. Mas o primeiro-ministro interino ressaltou que Saddam terá um julgamento justo. O ministro de Justiça, Malik Dohan al-Hassan, declarou que Saddam poderá contratar um advogado estrangeiro, caso a associação iraquiana de advocacia concorde.

Comentário: (clique sobre os textos em destaque para mais informações)

Finalmente, o novo governo iraquiano assume o poder. Saddam Hussein será oficialmente indiciado por todos os crimes que cometeu enquanto era presidente daquele país. Porém, apesar da custódia de Saddam pertencer agora ao novo governo iraquiano, ele fisicamente ainda ficará sob o poder dos EUA.

Não se sabe se Saddam será preso ou morto, mas o que se sabe é que ele ficará fora do cenário político mundial, o que abre caminho para que, no futuro, o anticristo possa governar o mundo a partir da Babilônia reconstruída. Estes fatos estão convergindo exatamente para as profecias bíblicas, conforme até foi publicado em notícias anteriores aqui no site.

Outro fator que converge para as profecias bíblicas é o fato de que, apesar do novo governo iraquiano assumir o poder, não significa que haverá paz no Iraque. Os seqüestros de estrangeiros e atos terroristas continuarão a acontecer. A Bíblia prevê que não haverá paz até o aparecimento glorioso de Jesus Cristo. Jesus é o único que trará a verdadeira paz. Antes disto, o anticristo aparecerá propondo uma falsa paz e infelizmente os líderes mundiais acreditarão nele.

Portanto, se algum governante mundial prometer paz neste período em que estamos, simplesmente não acreditem. Eles não podem fazer o que somente Jesus pode: trazer a verdadeira paz.

A Paz do Senhor a todos!

Notícias anteriores relacionadas ao mesmo tema:

01/06/2004 - Conselho de Governo do Iraque se dissolve

16/12/2003 - Prisão de Saddam Hussein - por que este fato se encaixa no contexto do final dos tempos?

Últimas Notícias