Notícia do jornal "O Estado de São Paulo" de 13 de dezembro de 2004

http://www.estadao.com.br/ciencia/noticias/2004/dez/12/85.htm

Países insulares pedem ajuda para deter elevação do mar

Com territórios reduzidos e populações vivendo a menos de 5 metros de altitude, ilhas são pontos mais vulneráveis às mudanças climáticas

Buenos Aires - Mais de 30 ilhas, grande parte delas pequenos países dos oceanos Pacífico e Índico, correm o risco de ficarem submersas nas próximas décadas, caso o aquecimento global continue e o nível dos mares persista em subir.

O alerta foi feito pelos países da Aliança de Pequenos Estados Ilhéus, que durante a 10.ª Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-10) pediram ao resto do planeta que tome medidas eficazes para combater as alterações do clima.

Os representantes das ilhas alegam que sua existência depende do resultado dos esforços em brecar o aquecimento global. Desta forma, poderiam impedir o aumento do nível do mar e, assim, afastar o perigo de seguir o destino da Atlântida da lenda.

Primeiro susto: Há quatro anos, o Estado de Tuvalu (antigas ilhas Ellice), no Pacífico, levou seu primeiro grande susto ao sofrer, em sua principal ilha, Funafuti, onde está a capital, marés de 3,2 metros de altura. O problema é que o ponto mais alto da ilha é de 4,5 metros acima do nível do mar.

"Precisamos dinheiro e tecnologia para ajudar nossos países", declararam angustiados os representantes de Tuvalu na COP-10.

Além disso, afirmam, o recente crescimento dos furacões e ciclones no Caribe e Pacífico afetou as economias desses pequenos Estados ilhéus.

Furacões: O caso mais grave é o de Granada, no Caribe, onde a recente seqüência de furacões nos últimos meses arrasaram 85% da ilha. O próprio primeiro-ministro de Granada se tornou um refugiado, pela destruição de sua residência.

Os habitantes das ilhas Maldivas, no Índico, também estão assustados. Um eventual aumento de um metro no nível do mar colocaria em risco a vida de 311 mil pessoas que residem nas 1.196 pequenas ilhas que formam esse país, cujo ponto mais alto está a 2 metros acima do nível do mar.

Os representantes das ilhas perguntam-se: "Quem receberá as centenas de milhares de refugiados desses países se eles ficarem submersos?"

Comentário: (clique sobre os textos em destaque para mais informações)

Clique aqui e saiba mais sobre o relacionamento entre tornados, furacões, alterações no clima da terra e o fim dos tempos.

A Paz do Senhor a Todos!

Notícias anteriores relacionadas ao mesmo tema:

13/12/2004 - País cumpre meta e reduz agressão à camada de ozônio

20/10/2004 - Tufão provoca mortes no Japão

29/09/2004 - Tempestade tropical deixa 5 mortos no Japão

23/09/2004 - Tempestades devastam o Haiti; mais de 1000 mortos

17/09/2004 - Número de mortes causadas pelo furacão Ivan chega a 88

09/09/2004 - Furacão Ivan devasta ilha de Granada; 9 mortos

02/09/2004 - Flórida remove centenas de milhares do caminho de furacão

30/08/2004 - Furacão mata três e deixa 30 feridos no Japão

25/08/2004 - Tufão Aere mata 3 pessoas no Japão e Taiwan

13/08/2004 - Tufão deixa 115 mortos e mais de 1000 feridos na China

13/08/2004 - Furacão Charley chega a Cuba com ventos de 165km/h

27/07/2004 - Frio no Peru mata pelo menos 46 crianças

22/07/2004 - Inundações na China: 381 mortos e 100 mil desabrigados

06/07/2004 - Tempestade tropical mata 15 pessoas em Taiwan; calor mata na Espanha

21/06/2004 - Tufão mata 3, fere 7 e deixa 3 desaparecidos no Japão

15/06/2004 - Tempestade mata seis e deixa 200 desaparecidos em Bangladesh

Últimas Notícias