Notícia do jornal "O Estado de São Paulo" de 17 de janeiro de 2005

http://www.estadao.com.br/internacional/noticias/2005/jan/16/24.htm

Sharon manda intensificar ação contra palestinos

Jerusalém - O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, informou hoje ter dado ordens às forças armadas para que intensifiquem suas operações a fim de cessar os atentados palestinos e afirmou que os militares vão operar sem restrições.

A declaração de Sharon foi proferida um dia depois que uma incursão do Exército israelense na Faixa de Gaza matou oito palestinos. Depois, alguns milicianos em Gaza lançaram foguetes de fabricação caseira contra o povoado israelense de Sderot, deixando uma adolescente gravemente ferida. Na madrugada deste domingo, milicianos do Hamas lançaram mais dois foguetes contra Sderot, mas não houve vítimas.

"O Exército e as forças de segurança receberam instruções de intensificar as operações para deter o terrorismo, e o farão sem restrições, enfatizo: sem restrições, enquanto os palestinos não moverem um dedo", afirmou Sharon

Os ataques em Gaza ocorreram depois que Sharon cortou os vínculos com o novo líder palestino Mahmoud Abbas, em resposta a um atentado suicida perpetrado na semana anterior em um cruzamento entre Gaza e Israel. O ataque deixou seis soldados israelenses mortos.

A decisão de Sharon dissipou o crescente otimismo de que a eleição de Abbas como líder palestino levaria à retomada das conversações de paz entre ambas as partes, depois de quatro anos de intifada.

Comentário: (clique sobre os textos em destaque para mais informações)

Com a eleição do novo líder palestino Mahmoud Abbas (substituto de Yasser Arafat), o mundo gerou uma grande expectativa sobre o tão esperado acordo de paz entre judeus e árabes em Jerusalém.

Mas de maneira surpreendente, um dia após a eleição, Ariel Sharon, premier israelense, simplesmente cortou todas as relações com o novo líder palestino e deu branca para Israel intensificar os ataques contra os árabes. Portanto, o caos continua em Israel.

Enquanto o mundo tenta entender a razão desta decisão de Ariel Sharon, a Bíblia nos dá a explicação clara: esta notícia confirma a profecia bíblica de Daniel 9:27 em que será somente o anticristo quem assinará tal acordo de paz, iniciando o período de sete anos de Tribulação:

  • Daniel 9:27
    "Este rei fará um acordo com o povo, de sete anos; mas depois de decorrer metade desse tempo, denunciará o tratado e proibirá os judeus de fazerem qualquer sacrifício ou oferta; posteriormente, como cúmulo das suas terríveis acções, o inimigo profanará completamente o santuário de Deus. Mas quando chegar o tempo determinado nos planos de Deus, o julgamento do Senhor será derramado sobre esse assolador visão de Daniel de um homem."

Durante a ministração do seminário sobre o Final dos Tempos no final de 2004, ficamos sabendo que o próprio Yasser Arafat assinaria o tal acordo de paz, mas morreu antes disto, confirmando a profecia bíblica sobre Daniel 9:27.

Fiquemos atentos, pois o cenário mundial já está formado para a aparição do anticristo no cenário político mundial. Significa que o Arrebatamento pode estar bem próximo de acontecer, pois segundo a Palavra de Deus, a Tribulação vem DEPOIS do Arrebatamento.

Estude a respeito dos sinais do final dos tempos clicando aqui.

A Paz do Senhor a Todos!

Notícias anteriores relacionadas ao mesmo tema:

19/11/2004 - Sharon abre mão de condições para negociar paz com palestinos

11/11/2004 - Anunciada oficialmente a morte de Arafat

07/09/2004 - Israel recomeça a construção de muro de separação

11/08/2004 - Israel ataca cidade ao sul da Faixa de Gaza

29/07/2004 - Muro de Israel vai invadir a Cisjordânia, diz governo

23/03/2004 - Além de Arafat, chefe do Hezbollah também é alvo de Israel

05/03/2004 - Maioria israelense não confia em Sharon. Pede sua renúncia

11/02/2004 - Quatro palestinos mortos em conflito em Gaza

09/02/2004 - Palestinos ameaçam proclamar seu Estado independente

25/11/2003 - Israel prevê "Plano de Paz" sem a criação do Estado Palestino

Últimas Notícias