Notícia do jornal "O Estado de São Paulo" de 21 de novembro de 2005

http://www.estadao.com.br/internacional/noticias/2005/nov/21/17.htm

Katsav aceita renúncia e aconselha "eleições o mais rápido possível"

Jerusalém - O presidente israelense, Moshé Katsav, disse nesta segunda-feira, após acatar o pedido de renúncia do primeiro-ministro Ariel Sharon, que as eleições nacionais devem ser antecipadas e "realizadas o mais rápido possível".

O primeiro-ministro, afirmou Katsav, "me disse que não pode dirigir os assuntos do Estado ao ficar em minoria no Parlamento", em referência à saída dos aliados trabalhistas da coalizão do Governo. "Logicamente, nestas condições, é preciso antecipar as eleições o mais rápido possível". O primeiro-ministro continuará no comando provisório do governo.

Katsav disse que, segundo a lei eleitoral, ainda tem 21 dias para consultar representantes da atual 16ª legislatura, para explorar a possibilidade de algum deles poder formar um novo Governo de coalizão.

Para isto, precisará de uma maioria simples de 61 deputados entre os 120 do Parlamento (Knesset). Caso não consiga, Katsav disse que as eleições deverão acontecer em um prazo máximo de 90 dias.

A data das eleições tem que ser aprovada pela Comissão Central de Eleições, presidida pela juíza Dorit Beinich, disse Katsav aos jornalistas, e isso, em última instância, dependerá do tempo que for preciso para organizar o pleito.

"Por enquanto, explorarei nas próximas três semanas se é possível formar uma nova coalizão", disse.

Deputados do Likud, partido do qual Sharon saiu, afirmavam hoje que podem conseguir isso.

O escritório do primeiro-ministro em final de mandato divulgou um comunicado no qual Sharon reconhece que não poderá continuar à frente do Governo que formou ao vencer as eleições de fevereiro de 2003, porque não tem maioria no Parlamento.

O Conselho Central do Partido Trabalhista aprovou ontem à noite, por unanimidade, a decisão de sair da coalizão com Sharon, passo promovido por seu novo e inesperado líder, Amir Peretz.

Comentário: (clique sobre os textos em destaque para mais informações)

É tempo de orarmos por Israel! A abrupta renúncia de Ariel Sharon mostra que a política na região da Palestina poderá mudar drasticamente a qualquer momento. Temos denunciado que existe uma preparação política mundial por parte de Satanás para que os novos presidentes/líderes eleitos recebam o anticristo como seu governador mundial daqui a alguns anos.

Não é somente coincidência que praticamente TODOS os países do mundo estão realizando eleições gerais entre 2005 e 2007 (clique aqui para a lista completa). Com a saída de Ariel Sharon, os conflitos na região tendem a aumentar. A Bíblia prevê que, infelizmente, o anticristo será o que assinará um acordo de paz (falsa paz) por sete anos com Israel em Daniel 9:27 , iniciando o período de Tribulação. Cremos que isto ocorrerá após o Arrebatamento.

Enfim, a notícia acima publicada comprova mais uma vez que os fatos estão convergindo exatamente para o cumprimento das profecias a respeito do final dos tempos. É extremamente importante nos posicionarmos corretamente como cristãos em obediência e santidade a Deus agora nos tempos finais.

Se você que está lendo esta notícia ainda não aceitou a Jesus Cristo como Senhor e Salvador exclusivo em sua vida, fazemos um apelo a você que não perca mais tempo: convide Jesus para entrar em sua vida e mudá-la. Quer você queira ou não, quer você acredite em Jesus ou não, os eventos pertinentes ao final dos tempos estão acontecendo muito rapidamente. Basta ler todas as notícias publicadas até hoje.

Somente Cristo livrará você do período de Tribulação, da perseguição do anticristo.

Estude os sinais do tempo do fim, clicando aqui.

A Paz do Senhor a Todos!

Notícias anteriores relacionadas ao mesmo tema:

17/11/2005 - Irã reconhece que satélite é capaz de espionar Israel

27/10/2005 - Presidente do Irã diz que Israel é "mancha vergonhosa"

27/04/2004 - Vladimir Putin chega a Israel em visita histórica

24/03/2005 - Kadafi ridiculariza israelenses e palestinos em cúpula árabe

01/03/2005 - Rússia se diz obrigada a ajudar programa nuclear iraniano

18/02/2004 - Putin promete mais e melhores armas para a Rússia

19/12/2003 - Kadafi promete abandonar armas proibidas, diz Blair

Últimas Notícias

1