Notícia do jornal "Folha de São Paulo" de 19 de março de 2008

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u383542.shtml

Bolsas européias caem, com ações de bancos, um dia após corte do Fed 

Um dia depois de o Federal Reserve (Fed, o BC americano) cortar sua taxa de juros, as Bolsas na Europa --que ontem fecharam com altas expressivas-- voltaram a cair nesta quarta-feira. As vendas de ações do setor bancário no Reino Unido ofuscaram o otimismo com a decisão da autoridade monetária americana.

Às 7h31 (em Brasília), a Bolsa de Paris tinha baixa de 0,35%, indo para 4.566,58 pontos; a Bolsa de Amsterdã caía 0,18%, para 426,72 pontos; a Bolsa de Milão recuava 1,16%, para 23.653 pontos; e a Bolsa de Zurique caía 0,08%, para 7.007,96 pontos.

Pouco antes, às 7h17 (em Brasília), a Bolsa de Londres tinha baixa de 1,06%, indo para 5.546,60 pontos; e a Bolsa de Frankfurt caía 0,70%, para 6.348,49 pontos.

Âs ações do banco de hipotecas britânico HBOS chegaram a cair 15% hoje,. Ainda no Reino Unido, as ações do Royal Bank of Scotland caíam 3,2% e as do Barclays, 2,1%. Na França, as ações do Société Générale caíam cerca de 7% depois que o BNP Paribas informou que não pretende fazer uma oferta para comprar o rival.

A decisão do Fed não conseguiu tirar as atenções dos investidores da questão do impacto da crise de crédito em curso nos EUA --e que abala o mercado financeiro global.

Ontem o Fed reduziu sua taxa de juros para 2,25% ao ano --corte de 0,75 ponto percentual e sexto consecutivo. A decisão foi recebida com entusiasmo ontem em Wall Street : o Dow Jones Industrial Average (DJIA) avançou 3,51%; o índice Nasdaq subiu 4,19%; e o S&P 500 subiu 4,24%.

Comentário: (clique sobre os textos em destaque par a mais informações)

Segundo os noticiários de ontem, há analistas econômicos comparando a crise financeira atual à Grande Depressão de 1929. Claro que isso pode ser exagero e levaria os sistemas financeiros ao pânico. O cenário hoje é bem diferente.

No entanto, a economia mundial em crise é um dos sinais do final dos tempos, o qual se chegará a um clímax quando o anticristo implantar a marca da besta, consolidando e controlando a economia mundial.

Hoje, a economia já trabalha com base em blocos únicos. Um exemplo é este próprio reflexo das bolsas européias à mudanças na economia americana. Portanto, as economias nacionais estão, de certa forma, operando interligadas.

Portanto, irmãos, é tempo de vigiarmos pois tais indícios mostram que a Volta de Jesus não está longe de ocorrer, embora não saibamos nem o dia e nem a hora (Mateus 24:36). Somente Deus Pai o sabe.

Estude mais sobre o fator da economia em crise como sinal do final dos tempos, clicando aqui.

Estude os sinais do fim dos tempos clicando aqui.

Notícias anteriores relacionadas ao mesmo tema:

10/03/2008 - Petróleo atinge US$ 107 e marca novo recorde em NY

22/01/2008 - Bolsas européias tornam a cair afetadas com temor sobre economia dos EUA

16/01/2008 - Ações da Ásia têm forte queda por medo de recessão nos EUA

24/08/2007 - Sudeste asiático planeja mercado comum para 2015

13/08/2007 - Banco do Japão injeta US$ 5 bilhões no mercado

26/04/2007 - Criação de moeda única não ocorre 'da noite para o dia'

29/11/2006 - Encontro entre Lula e Khadafi é cancelado

07/11/2006 - Projeto de lei no Senado prevê controle da Web brasileira

31/10/2005 - ONU exige que EUA deixem controle da internet

26/10/2005 - EUA lutam para manter o controle sobre os domínios da web

01/10/2005 - EUA rejeitam deixar controle da internet para ONU

14/09/2005 - ONU sedia a maior cúpula mundial de todos os tempos

29/07/2005 - G-4 aguarda aval africano à proposta de reforma na ONU

11/07/2005 - ONU discute a expansão do Conselho de Segurança

04/06/2005 - Países neutros mediarão reforma no Conselho de Segurança

02/06/2005 - China declara "perigosa" ampliação do Conselho da ONU

Últimas Notícias