Notícia do jornal "O Estado de São Paulo" de 15 de julho de 2008

http://www.estadao.com.br/internacional/not_int205861,0.htm

'Brasil é candidato natural ao Conselho de Segurança', diz Annan

Ex-secretário-geral da ONU defende reforma no órgão das Nações Unidas em São Paulo

SÃO PAULO - O ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Kofi Annan, abriu nesta segunda-feira, em São Paulo, o 4º Congresso Brasileiro de Publicidade com uma palestra aos representantes do mercado publicitário e à imprensa. Em sua segunda visita ao Brasil , Annan discutiu os novos desafios da comunidade internacional e comentou a possibilidade de uma reforma do Conselho de Segurança da ONU, onde o Brasil reivindica uma cadeira permanente.

"O Brasil é um candidato natural à uma cadeira permanente no Conselho de Segurança", disse Annan, que defendeu uma reforma no órgão que atualmente tem entre seus membros permanentes China, França, Estados Unidos, Reino Unidos e Rússia. Para ele, o Conselho precisa de uma reestruturação democrática, com a inclusão de membros permanentes da América Latina, África, Ásia e Europa. Entre os possíveis candidatos, ele citou nominalmente o Japão e a Alemanha. Annan afirmou ainda que a inclusão do Brasil entre os membros com direito à veto deve ser tratada com os países vizinhos.

Aquecimento global - O ex-secretário-geral da ONU afirmou que o maior desafio da comunidade internacional no momento é lidar com as conseqüências das mudanças climáticas.

"Não podemos utilizar os recursos naturais como se não houvesse amanhã", disse Annan, que explicou que as mudanças climáticas no planeta são uma ameaça à economia e à segurança mundial e ressaltou o aumentou mundial nos preços dos alimentos como uma das principais conseqüências do fenômeno.

"Uma das conseqüências das mudanças climáticas que o mundo terá que administrar é a possibilidade de migrações em massa. Essas mudanças climáticas são a força mais destrutiva que a humanidade terá que enfrentar", disse Annan, que defendeu que os países mais poluidores devem ser taxadas por suas emissões de CO2. Este dinheiro seria usado no desenvolvimento de tecnologias verdes.

Biocombustíveis - O ex-secretário-geral das Nações Unidas criticou ainda o uso de grãos para a produção de biocombustíveis, dizendo ela é parte do problema da fome no mundo. "Quando você usa milho para produzir combustível, uma pessoa morre de fome no mundo", disse Annan, que afirmou que mesmo no caso do uso da cana-de-açúcar para a produção de álcool, os países devem prestar atenção para não utilizarem suas terras mais férteis para a cultura.

América Latina - Para o ex-secretário-geral, a situação política na América Latina é mais estável hoje do que quando exercia o cargo nas Nações Unidas, entre 1997 e 2006. "Fiquei feliz com o encontro entre Hugo Chávez (presidente da Venezuela) e Álvaro Uribe (líder da Colômbia). Mas é preciso estar atendo à situação da Bolívia", disse Annan. A Bolívia realiza um referendo que pode revogar o mandato do presidente Evo Morales no próximo dia 10 de agosto.

África - Annan também citou o indiciamento do presidente do Sudão, Omar Bashir, pelo Tribunal Penal Internacional nesta segunda-feira e disse que a comunidade internacional deve manter os esforços para resolver a crise no país.

Ele comentou ainda a situação no Zimbábue, onde o presidente Robert Mugabe foi reeleito em um processo eleitoral acusado de ser viciado pela oposição e pela comunidade internacional. Para ele, o país deve seguir o exemplo do Quênia, onde uma crise institucional após as eleições em dezembro do ano passado foi solucionada com um governo de coalizão liderado pelo primeiro-ministro oposicionista Raila Odinga.

Comentário:(clique sobre os textos em destaque par a mais informações)

Há tempos o Brasil reivindica uma cadeira permanente no conselho de segurança. Recentemente, a França reativou o mesmo assunto.

Curiosamente, este assunto havia sido dado como "encerrado" desde setembro de 2005, mas ressurge agora e prova que as intenções de manobras dentro da ONU continuam. Esta é uma notícia importantíssima que diz respeito ao período deTribulação:

Atualmente, ocupam as 5 cadeiras fixas EUA, Rússia, China, Reino Unido e França. Os outros 10 membros são rotativos pelo período de 2 anos (clique aqui para mais detalhes). Desde novembro de 2004, vários países começaram a se manifestar para que este número de cadeiras seja aumentado. A ONU, então, criou um projeto de expandir suas cadeiras fixas do Conselho de Segurança de 5 para 10 membros. Como tudo na ONU se decide por meio de eleições, existem duas chapas de projeto:

  • O G-4, formado por Brasil, Índia, Alemanha e Japão, que propõe a criação de seis novos assentos permanentes no Conselho: neste caso, os membros com cadeiras permanentes passariam de 5 para 11;
  • O grupo o grupo União Para o Consenso, liderada por Paquistão, Itália e Argentina, que propõe a criação de dez novos membros rotativos, não permanentes, para o órgão: neste caso, os membros com cadeiras fixas continuariam sendo 5, só que os membros rotativos aumentariam de 10 para 20.

Percebam que a proposta do G-4 praticamente cumpre a profecia bíblica. Ora, ao se expandir de 5 para 11 cadeiras fixas, estes 11 líderes mundiais definirão o futuro da segurança mundial. Não sabemos qual projeto vencerá, mas fato é que a Bíblia prevê 10 reis sob o comando do anticristo.

Então porque 11 cadeiras permanentes? Esta cadeira de número 11 será o anticristo governando os dez reis (as outras 10 cadeiras). Todo conselho tem que ter um líder e ,sem sombra de dúvida, o próximo passo da ONU após a expansão das cadeiras será estabelecer um líder para o Conselho de Segurança. A Bíblia prevê exatamente este ambiente de onde surgirá o anticristo. Veja o que a Palavra nos diz:

  • Daniel 7:7-8
    "Depois disto, eu continuava olhando, em visões noturnas, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha grandes dentes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez chifres. Eu considerava os chifres, e eis que entre eles subiu outro chifre, pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas."
  • Daniel 7:24
    "Quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis; e depois deles se levantará outro, o quál será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis."
  • Apocalipse 17:12
    "Os dez chifres que viste são dez reis, os quais ainda não receberam o reino, mas receberão autoridade, como reis, por uma hora, juntamente com a besta."

Notem que, em Daniel 7:8, o chifre menor representa o anticristo governando os outros dez reis. Em Daniel 7:24, o Espírito Santo revela ao profeta Daniel que o anticristo governará estes dez reis e ainda matará a três reis que se rebelarão contra ele.

Em Apocalipse 17:12 João tem a mesma revelação do anticristo (a besta) governando dez outros líderes mundiais. Por isto, há um fortíssimo indício de que o anticristo despontará como líder mundial de dentro da ONU.

Vale lembrar também que poderemos até conhecer quem será o anticristo despontando como líder do Conselho de Segurança da ONU, mas quando ele despontar como governador mundial, já estaremos arrebatadose para sempre vivendo com o Senhor Jesus! Maranata!

Fiquemos atentos para as próximas notícias em relação a este assunto.

Estude mais sobre o papel da ONU no final dos temposclicando aqui.

Estude os sinais do fim dos tempos clicando aqui

Notícias anteriores relacionadas ao mesmo tema:

09/01/2008 - Sarkozy quer ampliar membros permanentes do Conselho de Segurança

29/11/2006 - Encontro entre Lula e Khadafi é cancelado

07/11/2006 - Projeto de lei no Senado prevê controle da Web brasileira

31/10/2005 - ONU exige que EUA deixem controle da internet

26/10/2005 - EUA lutam para manter o controle sobre os domínios da web

01/10/2005 - EUA rejeitam deixar controle da internet para ONU

14/09/2005 - ONU sedia a maior cúpula mundial de todos os tempos

29/07/2005 - G-4 aguarda aval africano à proposta de reforma na ONU

11/07/2005 - ONU discute a expansão do Conselho de Segurança

04/06/2005 - Países neutros mediarão reforma no Conselho de Segurança

02/06/2005 - China declara "perigosa" ampliação do Conselho da ONU

Últimas Notícias