Notícia do jornal "Folha de São Paulo" de 5 de janeiro de 2009

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u486161.shtml

Exército israelense avança sobre Gaza, mas não impede ataque de foguetes do Hamas


Fonte: O Estado de São Paulo

O Exército israelense dividiu Gaza em dois e continua avançando pelo território palestino nesta segunda-feira em uma nova fase da ofensiva terrestre para "buscar e destruir a infraestrutura" do Hamas. Contudo, em dez dias da grande ofensiva militar do país, Israel não consegue conter o lançamento constante de foguetes artesanais pelos militantes do movimento radical islâmico.No décimo dia consecutivo da grande ofensiva militar contra alvos do grupo na faixa de Gaza, o saldo é de ao menos 500 palestinos mortos, incluindo um número crescente de civis, e cerca de 2.500 feridos, segundo fontes palestinas.

Neste domingo (4), ao menos 30 foguetes --a maioria Qassam-- foram lançados de Gaza ao sul de Israel, informaram as Forças de Defesa israelense. Os taques deixaram um israel levemente ferido ao atingir a cidade de Ashdod. Outros quatro israelenses --um soldado e três civis-- foram mortos por ataques de foguetes, informaram oficiais israelenses.

Já nesta segunda-feira, segundo o jornal israelense "Haaretz", ao menos 10 foguetes Qassam atingiram o sul de Israel. Dois deles explodiram em campos abertos próximo ao norte de Ashkelon, em Negev. Pouco antes, dois foguetes Grad explodiram no centro de Yavneh e outros foguetes foram lançados na direção de Kiryat Malachi, atingindo um campo aberto.

No começo da manhã, dois foguetes atingiram campos no Conselho Regional de Eshkol e outros três atingiram o Conselho Regional de Sha'ar Hanegev. Segundo o "Haaretz", não foram registradas vítimas nos ataques.

Segundo Israel, a ofensiva militar é justamente uma resposta à violação --com o lançamento constante de foguetes-- do Hamas da trégua de seis meses assinada com Israel e que acabou oficialmente no último dia 19. Embora não causem o número de vítimas dos bombardeios israelenses, o constante lançamento de foguetes do Hamas mostra que, em dez dias, a ofensiva de Israel não conseguiu destruir o grupo e afasta a possibilidade de uma trégua.

Nova fase  - Segundo as Forças de Defesa israelenses, a ofensiva terrestre entra nesta segunda-feira em sua segunda fase, dividir Gaza para impedir o livre fluxo de militantes, armas e suprimentos dentro do território, que abriga 1,5 milhão de pessoas.

A nova etapa, denominada "Arrancar pela raiz", se baseia na busca de esconderijos de armas e milicianos, dizem meios de imprensa locais. Cerca de 80 tanques, veículos blindados e escavadeiras israelenses tomaram posição no antigo assentamento judaico de Mitzarin, a cerca de três quilômetros ao sul da capital de Gaza. Na Cidade de Gaza, as ruas estão desertas e se ouvem apenas os aviões israelenses e o fogo de explosões e disparos de artilharia. Paralelamente, Israel mantém os bombardeios a túneis usados pelo Hamas para se movimentar clandestinamente pelo território.

Aviões - A ofensiva terrestre é complementada pelos bombardeios aéreos, que atingiram, somente na madrugada desta segunda-feira, 30 alvos em Gaza. Segundo a agência de notícias Efe, 50 palestinos e um soldado israelense morreram nos confrontos desta noite.

A Força Aérea israelense atacou de madrugada uma mesquita e diferentes túneis subterrâneos na fronteira com o Egito, enquanto os navios de guerra destroçaram edifícios litorâneos do Hamas e um bunker onde supostamente armazenavam foguetes palestinos, diz o Exército em comunicado. "A aviação atacou especialmente uma mesquita em Jabaliyah, onde armas eram escondidas, assim como casas onde também eram armazenadas armas, veículos que transportavam lança-foguetes e homens armados", disse um porta-voz.

O porta-voz do Exército afirmou ainda que muitos militantes do Hamas foram mortos quando um ataque israelense destruiu um lançador de foguetes, mas não soube especificar o número. Israel também atacou um local de combate antiaéreo e um suposto local de lançamento de foguetes. Os helicópteros israelenses continuam patrulhando a fronteira com Gaza.

Vítimas - Os bombardeios israelenses deixaram ao menos cinco crianças palestinas mortas nesta segunda-feira, informou uma fonte médica palestina. Três meninos faleceram em consequência do disparo de um obus a partir de um carro de combate no bairro de Zeitun, em Gaza, e os outros dois em bombardeios da Marinha israelense contra o campo de refugiados de Chati, também na cidade de Gaza, informou o diretor das emergências palestinas, Muawiya Hasanein, que não revelou as idades das vítimas.

A ofensiva israelense, que nesta segunda-feira entrou no 10º dia, já provocou a morte de pelo menos 500 palestinos na faixa de Gaza, onde as viaturas israelenses assumiram o controle neste domingo (4) de vários eixos estratégicos, enfrentando em alguns lugares os combatentes do Hamas.

Comentário: (clique sobre os textos em destaque para mais informações) 

 

É óbvio que é inaceitável o número de vítimas inocentes neste conflito. Porém, é necessário esclarecer alguns pontos:

  • O Hamas é um grupo terrorista (não apenas um partido político), que veio violando várias vezes o acordo de cessar-fogo que havia feito com Israel, lançando mísseis em direção a cidades israelenses, mesmo antes da data do fim do acordo de cessar-fogo
  • JAMAIS devemos generalizar que todo palestino seria membro do Hamas ou terrorista, como muitas vezes a cultura ocidental impõe e a imprensa coloca. A ofensiva de Israel é contra a liderança do Hamas, não contra os palestinos
  • O governo israelense, ao que as notícias indicam, também não cumpriu sua parte em liberar o bloqueio feito anteriormente na Faixa de Gaza
  • O governo israelense já havia alertado o Hamas para voltarem a respeitar o acordo de cessar-fogo, senão Israel tomaria as providências para proteger o seu território. Qualquer outro país faria a mesma coisa diante desta situação para proteger os seus cidadãos, depois de violação de um acordo diplomático formal de cessar-fogo

Como cristãos, é importante termos em mente que o Estado de Israel foi uma promessa do Senhor, que a cumpriu conforme Ezequiel 37, mesmo que o Hamas nunca aceite a existência da nação israelense. O povo judeu continua sendo o povo da aliança de Deus e nós somos enxertados na mesma aliança conforme Romanos 11. Outra coisa: tanto o povo judeu como o povo árabe tem o mesmo pai: Abraão. Por isso, Deus faz a promessa da reconciliação entre árabes e judeus, conforme Isaías 19:19-25 (leia o final deste comentário).

Portanto, o nosso papel como cristão é realmente reconhecer que Israel é a nação da promessa do Senhor, que deve ser defendida e que toda nação que se alinhar contra Israel, estará na realidade alinhando-se ao sistema do anticristo num futuro próximo. Porém, não é o papel do cristão "ser a favor dos judeus e contra os árabes", mas deve ser o de interceder pela reconciliação entre os dois povos. Devemos, sim, ser contra as mortes, os conflitos (sempre injustos) na região, e o flagelo que está ocorrendo com a população palestina e israelense inocente da Faixa de Gaza, que sofre consequências das ofensivas entre Israel e o Hamas. Recomendamos assistir ao vídeo sobre as tentativas de partilha da terra entre palestinos e judeus para se entender melhor o conflito. Clique aqui para assistir ao vídeo.

Portanto, pedimos que vocês intercedam por estes pontos específicos urgentes em suas orações:

  1. Para que o Senhor proteja os cidadãos palestinos e israelenses das munições deflagradas de ambos os lados. Sangue derramado somente amaldiçoa o território;
  2. Para que as ofensivas israelenses e os mísseis lançados pelo Hamas cessem imediatamente;
  3. Para que haja imediatamente uma saída diplomáticas para o conflito;
  4. Para que os líderes do Hamas se conscientizem de que Israel é uma realidade e concordem em encontrar saídas diplomáticas para que ideologias opostas possam coexistir de forma respeitosa entre o Hamas e o governo israelense.

Continuem intercedendo pela paz em Jerusalém, pela reconciliação entre árabes e judeus. Nenhuma das partes está correta: nem Israel, com as ofensivas brutais, nem a Palestina, por permitir as ações dos militantes do Hamas.

Como cristãos, não podemos permanecer alheios à situação, mas sim temos que entender a mecânica dos acontecimentos no Oriente Médio. Muitos ficam invariavelmente do lado dos judeus, outros dos palestinos nesta hora. Na realidade, a questão é bem mais profunda do que isto.

Estude os sinais do tempo do fim, clicando aqui.

Assista a reportagens sobre Israel e o Oriente Médio clicando aqui.

Uma observação importante: orar pela paz em Jerusalém não significa ser a favor ddos judeus e contra os árabes, como muitos deduzem e acabam, por fim, discriminando os árabes. Nossa luta não é contra as pessoas (Efésios 6:12). Lembrem-se que Ismael e Isaque pertencem à mesma semente de Abraão. E Deus promete reconciliar os povos novamente no final dos tempos, durante o Reino Milenar de Cristo, conforme Isaías 19:19-25:

"Naquele tempo o Senhor terá um altar no meio da terra do Egito, e uma coluna se erigirá ao Senhor, junto da sua fronteira. E servirá de sinal e de testemunho ao Senhor dos Exércitos na terra do Egito, porque ao Senhor clamarão por causa dos opressores, e ele lhes enviará um salvador e um protetor, que os livrará. E o Senhor se dará a conhecer ao Egito, e os egípcios conhecerão ao Senhor naquele dia, e o adorarão com sacrifícios e ofertas, e farão votos ao Senhor, e os cumprirão. E ferirá o Senhor ao Egito, ferirá e o curará; e converter-se-ão ao Senhor, e mover-se-á às suas orações, e os curará; 23 Naquele dia haverá estrada do Egito até à Assíria, e os assírios virão ao Egito, e os egípcios irão à Assíria; e os egípcios servirão com os assírios. Naquele dia Israel será o terceiro com os egípcios e os assírios, uma bênção no meio da terra. Porque o Senhor dos Exércitos os abençoará, dizendo: Bendito seja o Egito, meu povo, e a Assíria, obra de minhas mãos, e Israel, minha herança."

Vocês podem até pensar: "Mas se Deus já vai fazer isso mesmo, porque preciso orar pela paz de Jerusalém?". A resposta é que a intercessão muda a história, e a intercessão nesse sentido poderá muito bem acelerar a volta de Cristo e o cumprimento dessa profecia de reconciliação entre árabes e judeus! Houve muita intercessão (desde 1814) antes de se fundar oEstado de Israel em 1948- o processo foi acelerado - o Estado de Israel é uma realidade! E será assim também se intercedermos pelo Oriente Médio, porque Deus nunca muda e Ele cumpre Sua Palavra!

Estude os sinais do tempo do fim, clicando aqui.

A Paz do Senhor a Todos!

Notícias anteriores relacionadas ao mesmo tema:

28/12/2008 - Israel ataca e número de mortos em Gaza sobe para 271

20/10/2008 - Kadafi visitará Moscou para negociar US$ 2 bilhões em armas

01/10/2008 - Líder do Irã diz que Israel caminha rumo à destruição

26/09/2008 - Israel 'pediu sinal verde aos EUA para atacar Irã', diz jornal

09/07/2008 - Irã testa míssil que pode alcançar Israel

22/06/2008 - Irã dará resposta 'devastadora' a qualquer ataque, diz ministro

02/06/2008 - Presidente do Irã diz que Israel vai 'desaparecer do mapa'

14/05/2008 - Ahmadinejad diz que Israel está perto da 'aniquilação'

08/05/2008 - Israel inicia comemorações dos 60 anos de sua fundação

28/03/2008 - Israel quer retomar negociações de paz com Síria, diz ministro

18/03/2008 - Alemães sentem "vergonha" pelo Holocausto, diz Merkel em Israel

25/02/2008 - Ato contra bloqueio de Israel em Gaza forma corrente humana

30/01/2008 - Irã aproxima-se de auge nuclear, diz Ahmadinejad

17/01/2008 - Oriente Médio está prestes 'a explodir' contra Israel, diz Irã

14/01/2008 - Israel considera 'todas as opções' para impedir um Irã nuclear

09/01/2008 - Bush chega a Israel para visita histórica à região

04/12/2007 - Israel acredita que Irã retomou programa nuclear de armas

26/11/2007 - Veja as questões centrais do conflito israelense-palestino

06/11/2007 - Israel define Conferência da Paz para final de novembro

24/09/2007 - Irã não atacará Israel nem qualquer outro país, diz presidente

06/09/2007 - Irã diz ter fechado acordo sobre usina nuclear; Rússia nega

23/05/2007 - Irã desafia ONU e intensifica programa nuclear, diz AIEA

18/04/2007 - Ahmadinejad ameaça 'cortar as mãos' de agressores do Irã

25/01/2007 - Irã admite ter recebido mísseis de proteção aérea da Rússia

11/12/2006 - Presidente diz que Irã chegará ao topo da tecnologia nuclear

20/10/2006 - "Israel foi criado para engolir a região", diz Ahmadinejad

25/09/2006 - Vice-presidente do Irã viaja à Rússia para assinar acordo nuclear

23/08/2006 - Resposta "complexa" do Irã pode causar racha no Conselho de Segurança

03/08/2006 - Presidente do Irã diz que solução do Oriente Médio é fim de Israel

01/08/2006 - Irã rejeita resolução da ONU sobre urânio

02/05/2006 - Irã anuncia novo processo nuclear e ameaça Israel

24/04/2006 - Irã considera retirada de Tratado de Não-proliferação Nuclear

12/04/2006 - EUA querem "fortes medidas" contra o Irã

15/03/2006 - Irã anuncia acordo com a Rússia para encerrar polêmica nuclear

20/02/2006 - Irã e Rússia iniciam negociações sobre programa nuclear

11/01/2006 - EUA e Europa criticam retomada de programa nuclear do Irã

14/12/2005 - Presidente iraniano diz que Holocausto é um mito

17/11/2005 - Irã reconhece que satélite é capaz de espionar Israel

27/10/2005 - Presidente do Irã diz que Israel é "mancha vergonhosa"

27/04/2005 - Vladimir Putin chega a Israel em visita histórica

24/03/2005 - Kadafi ridiculariza israelenses e palestinos em cúpula árabe

01/03/2005 - Rússia se diz obrigada a ajudar programa nuclear iraniano

18/02/2004 - Putin promete mais e melhores armas para a Rússia

19/12/2003 - Kadafi promete abandonar armas proibidas, diz Blair

Últimas Notícias